15/08/2014 

Made in Italy

Edição 55

O cafezinho made in Italy tem padronização industrial. Em qualquer bar que se entra, a xícara  vem com a mesma quantidade, a mesma consistência, a mesma textura.

Parece que todos os baritas foram treinados na mesma escola. A única diferença entre os cafés é o preço.

No Brasil, a surpresa  impera. Nunca se sabe como será o próximo cafezinho mesmo quando o tomamos no mesmo café, bar ou padaria.

Apesar de produzirmos em larga escala um dos melhores cafés do mundo, não criamos até hoje uma cultura de degustação do produto aqui mesmo.

É esse apego permanente em transformar qualquer coisa em técnica e o esforço em utilizá-la de forma artística que são as principais diferenças das empresas exportadoras italianas.

Made in Italy é a expressão que os italianos utilizam para explicar os setores econômicos da Itália que, excluídos das benesses políticas e empréstimos privilegiados de bancos oficiais, conseguiram conquistar, de forma  inovadora, um espaço de liderança global organizando-se em distritos industriais (clusters).

Num ambiente econômico mundial em que há quase uma unanimidade dos países, industrializados ou não, em privilegiar os setores de alta tecnologia e pesquisa, estas empresas italianas encontraram um espaço de inovação em setores ditos “tradicionais” sem, contudo, se posicionarem no preço baixo como estratégia competitiva., como a China.

A tradição cultural, artística  e artesanal italiana é um dos pilares de sustentação do sucesso das empresas do Made in Italy nos setores industriais considerados  “maduros”, como moda, têxtil, móveis, casa, turismo, alimentação e máquinas-ferramentas relacionadas a estes setores.

O outro pilar é uma organização flexível, também inovadora, em distritos industriais e comunidades exportadoras que criou um novo modelo industrial e de desenvolvimento locais único no mundo.

A razão do sucesso das pequenas empresas e produtos do  Made in Italy em todo mundo é que este não é apenas um fenômeno econômico mas sobretudo um modello di vita que a Itália exporta para resto do mundo por meio dos canais de distribuição e do turismo. E faz isso até mesmo em hábitos simples, como tomar um cafezinho no bar.

No Curso de Gestão em Negócios Internacionais da Export Manager Business School o participante aprende a gerenciar, por meio de casos reais e material didático exclusivo,  a internacionalização de empresas, individualmente ou consorciadas.

Por meio do nosso Programa Sou Global , empresas e consórcios de exportação têm os nossos serviços de elaboração de projetos de exportação de forma gratuita, desde que sejam conveniados à escola.

Desta forma ajudamos a consolidar o Made in Brazil entre as pequenas empresas de Ribeirão Preto e região.

Claudio César Soares – Coordenador do Curso Técnico de Comércio Exterior.
claudio@exportmanager.com.br

 

 

Acompanhe nossas redes sociais

     

Gostou desse conteúdo? Compartilhe com seus amigos.

Fonte: Export Manager