15/08/2014 

Linguagem Corporal na Negociação Internacional

Edição 108

 

O corpo fala mais que a boca. Na década de 1950, Albert Mehrabian, pioneiro da pesquisa da linguagem corporal, apurou que em toda comunicação interpessoal cerca de 7% da mensagem é verbal, 38% é vocal e 55% é não-verbal.


A maioria dos gestos emocionais é inata ao ser humano,  presente em todos os seres humanos,com o mesmo significado. Outra parte é de natureza cultural fazendo com que alguns gestos possuam diferentes significados em diferentes culturas.  Ambos são importantes numa negociação intercultural.


Acho difícil, contudo, acreditar em histórias de traders mais experientes sobre grandes negócios perdidos em virtude de um gesto errado ou uma gafe cometida durante uma reunião.


No contexto atual de globalização, mais importante que gestos e dicas de como evitar gafes é saber interpretar a linguagem corporal comum a todos os seres humanos. Até porque todos sabem que um estrangeiro não precisa dominar completamente o código cultural de outro país.


Em qualquer cultura, a linguagem do corpo reflete o estado emocional e os pensamentos de uma pessoa. Uma leitura precisa da linguagem corporal deve atentar para três elementos:


1) Grupo de Gestos – um gesto isolado não tem significado algum. Coçar a cabeça pode significar insegurança, mentira ou caspa. O negociador experiente observaria a  quais outros gestos a coçada na cabeça está associada antes de tirar alguma conclusão. A linguagem corporal também tem acentos e ponto e vírgula;

 

2) Coerência dos Gestos – você acreditaria em alguém que falasse em parceria de longo prazo dando um soco na mesa? O grupo de gestos deve estar coerente com o que é falado, caso contrário, é mentira ou enganação;

3) Contexto – o maior ponto forte de um grande negociador é entender o contexto e reagir a ele de forma apropriada.

 

Dominar a  identificação , a leitura e a forma de reagir à linguagem corporal dos outros é fator de sucesso não apenas numa negociação mas também na vida social. E, para não dizer que não falamos de significados dos gestos, na velha tradição dos traders, segue abaixo uma pequena lista da infinita lista de gestos com significados diferentes em diferentes culturas. Leia e esqueça.


Nos cursos de Analista de Comércio Exterior e Global Trader da Export Manager Trading School você pode aprender isso e muito e mais para ter negociações bem-sucedidas.


Claudio César Soares, 49, é Diretor da Export Manager Trading School.



Por meio da Instrução Normativa RFB 1202/11 a Receita Federal aprovou Emenda ao Sistema Harmonizado de Codificação de Mercadorias.
O Sistema Harmonizado é a base da Nomenclatura Comum do Mercosul que deverá sofrer alterações em breve.


Fonte: ACE Institucional



Esqueci de inserir o Ato Concessório do Drawback no meu Registro de Exportação. Tenho como alterar depois da averbação?
Não. É proibida a inclusão de Atos Concessórios em Registros de Exportação averbados, exceto nos casos de:


a)transferência de titularidade previamente autorizada pelo DECEX;
b) Exportações em consignação;
c) Prorrogações excepcionais de prazo do Ato Concessório até 5 (cinco) anos nos casos de bens de capital de ciclo longo.
(Fundamentação Legal: Portaria SECEX 23/11 Artigo 147)

 

Mercado Futuro de Câmbio


Dólar – atingiu piso a 1,680 e deve subir na semana
Euro –  mercado vai buscar o fundo do poço.

Fonte: Export Manager