15/08/2014 

Export Manager Trading Inicia Operação na China em 2012

Edição 112

 

Única trading school do país, a Export Manager está inaugurando seu escritório na China, dando assim o primeiro passo da sua internacionalização, a partir do ano que vem.


A seleção do país da primeira filial no exterior se deve à grande concentração de clientes e potenciais clientes interessados no desenvolvimento de fornecedores e joint ventures no mercado asiático.


Nossa experiência em  China advêm desde a década de noventa, quando poucas empresas apostavam neste país que se tornou, nesta década, o principal parceiro comercial do Brasil.


Com base nesta experiência, concluímos que, com o grande número de players operando ou buscando operar no mercado o grau de dificuldades, de natureza  comercial,operacional e cultural é ainda fonte de muitas dores de cabeça, sobretudo para importadores brasileiros ou aqueles que pretendem investir diretamente na China.


O modelo de negócios que a Export Manager Trading School adotará é o mesmo que no Brasil, qual seja: uma trading focada na gestão das operações desde a origem até o destino final com repasse de todos os ganhos de escala e de negociação com terceiros ao cliente, com plena transparência operacional e comercial, valor basilar da empresa.


A idéia é atender os importadores brasileiros clientes da Export Manager Trading School  no desenvolvimento de fornecedores, incluindo marca própria, e, principalmente, flexibilizar os negócios permitindo que pequenos importadores possam fazer seus negócios, ainda que em pequena escala ou com produtos que tenham competitividade na importação mas não tenham volume para mínimo de um contêiner.


Para dar suporte a operação da China, a Export Manager Trading School inaugurou o seu escritório de back office em Itajaí com vistas a reduzir custos operacionais aproveitando a infra-estrutura portuária do Estado de Santa Catarina.


Não vendemos benefício fiscal, como a maioria das tradings, porque tal prática tem gerado problemas jurídicos e passivos fiscais às empresas que terceirizam seus negócios com tradings, face à inconstitucionalidade da maioria dos benefícios concedidos unilateralmente por alguns Estados.


Nosso modelo de negócios é sustentado na gestão aduaneira planejada e preventiva, que reduz o lead time, e na busca da redução permanente de custos operacionais que, repassados aos clientes, devem cobrir e, sempre como meta, ultrapassar os ganhos da Export Manager Trading School para que o cliente tenha vantagem em terceirizar conosco a gerência do seu departamento de comércio exterior.


Claudio César Soares, 49, é Diretor da Export Manager Trading School.

 



Os limites de faturamento anual para a consideração de uma pessoa jurídica como MEI, micro ou pequena empresa foram aumentados, a partir de janeiro de 2012, nos termos da LC 139/2011, para:

R$ 60.000,00 (sessenta mil reais), no caso de MEI

 

R$ 360.000,00 (trezentos e sessenta mil reais), no caso de microempresa;

R$ 3.600.000,00 (três milhões e seiscentos mil reais), no caso de empresa de pequeno porte, inclusive, as EPP´s optantes atualmente pelo SIMPLES NACIONAL e que tiverem ainda em 2011 faturamento  entre R$ 2.400.000,01 e R$3.600.000,00 poderão optar pelo regime simplificado no próximo ano.

 

Fonte: ACE Institucional



Preciso de Laudo da ABIMAQ para importar equipamento usado?
Não é obrigatório.  A importação de máquinas usadas está sujeita a Licenciamento não automático previamente ao embarque no exterior.
Tais importações estão sujeitas a análise de ausência de produção nacional realizada pela Secretaria de Comércio Exterior mediante consulta pública por 30 (trinta) dias no site do MDIC (http://www.mdic.gov.br//sitio/interna/interna.php?area=5&menu=1989).


A SECEX pode dispensar o procedimento de consulta pública quando o pedido estiver acompanhado de Laudo de Inexistência de Produção nacional emitido por entidade representativa do setor, devidamente indicado no campo descrição da mercadoria da LI.


Na prática isso não tem ocorrido optando o órgão a publicar mesmo com o laudo.


(Fundamentação Legal: Portaria Decex nº 8, de 13.05.91, com alterações das Portarias MDIC nº 235, de 07.12.06 e nº 77, de 19.03.09 atualizada em 17/08/2010.)



Dólar Futuro –  atingiu o teto e a tendência e de queda na semana até o piso de 1,780.


Euro Futuro –  atingiu o teto e a tendência é de queda pequena na semana ate o piso de 2,450.
 

Fonte: Export Manager