15/08/2014 

2012 – Ano do Dragão

Edição 115

 

Fim de ano é o momento em que naturalmente repensamos nossas estratégias, de negócios, de trabalho e de vida. Quando formulamos nossas resoluções de ano novo, estamos projetando nossos futuros a partir de uma avaliação subjacente. No ano que vem emagreço 10 quilos. Está implícito que nos julgamos acima do peso.


Qualquer estratégia tem sempre três elementos: um diagnóstico da situação atual (onde estamos), uma formulação de objetivos futuros (para onde vamos) e táticas para sair de onde estamos para chegar onde queremos (como vamos).


Dos três fatores que compõem qualquer estratégia o mais crítico e difícil de concretizar é o do “como vamos”, isto é, a execução cotidiana de como iremos chegar de hoje ao futuro. É comum que no primeiro dia do ano nos matriculemos numa academia ou comecemos a fazer exercícios para emagrecer os 10 quilos e, semanas ou dias depois, perdemos a disciplina e só nos lembramos das metas no final do ano, quando formos fazer nossas resoluções do ano seguinte.


Nas empresas acontece o mesmo. Dias são gastos no planejamento estratégico, movimentam-se consultores e todas as equipes que se motivam com o futuro e, meses depois, todos se esqueceram que a execução, em tudo, é o mais difícil, porque envolve resolver problemas, realizar tarefas de rotina, lidar com pessoas nem sempre fáceis e ter, acima de tudo, disciplina.


Se há uma característica cultural de um povo que os leva ao desenvolvimento econômico e social é a disciplina em buscar seus objetivos.  Os Estados Unidos o fizeram com o ideário protestante. Os chineses e japoneses com a sua tradição de respeito às regras e hierarquias sociais. Não há nenhum vínculo com o sistema político vigente, tanto que Estados Unidos prezam pela democracia e a China pelo comunismo.


E nós brasileiros? Creio que os brasileiros enganam um olhar desatento. Somos disciplinados até para fazer carnaval que é a festa da indisciplina geral. Nos negócios, já existe o estilo brasileiro de administrar que combina informalidade, relacionamento e disciplina voltada não às regras e formalidades, mas à busca de resultados. E isso num ambiente de enorme burocracia estatal, similar à da China.


Para o ano que vem, planejamos iniciar nossa operação na China e distribuir nossos cursos e seminários no formato online, à distância, para todo o Brasil. Metas ambiciosas de uma nova fase da Export Manager para continuar atendendo seus clientes de forma mais eficaz.


2012, no ano novo chinês 4710, é o Ano do Dragão. Na China, o Dragão simboliza a potência e a benevolência, por isso os anos do Dragão são considerados benéficos para obter dinheiro com mais facilidade, beneficiando os negócios e incrementando as fortunas individuais.


A Export Manager Trading School deseja, nesta última edição de 2011, que todos os seus alunos, parceiros e clientes aproveitem este final de ano para formular corretamente suas estratégias de negócios e de vida e que consigam no ano do Dragão ter a disciplina necessária para executá-las e, assim, alcançarem seus objetivos, ainda que parcialmente.


Claudio César Soares, 49, é Diretor da Export Manager Trading School.



Foi sancionada no último dia 14 a Lei 12.545 que cria o Fundo de Financiamento à Exportação (FFEX). O Valor inicial da União é de um bilhão de reais, algo em torno de quinhentos milhões de dólares.


O FFEX será gerido por instituição financeira controlada pela União com regras similares ao PROEX. Leia-se Banco do Brasil e burocracia.


Fonte: ACE Institucional



Preciso enviar cinco mil dólares para um funcionário que está no exterior, em trabalho comercial, para cobertura de despesas. A remessa é tributada com o Imposto de Renda na Fonte?


Não. Estão isentas as remessas até o limite global de R$ 20.000,00 (vinte mil reais) ao mês, para a pessoa jurídica, domiciliada no País, que arque com despesas pessoais de seus empregados e dirigentes residentes no País, registrados em carteira de trabalho.


(Fundamentação Legal: Instrução Normativa RFB nº 1.214/11)



Dólar Futuro – Como previmos na semana passada, compradores buscaram o 1,90 atingindo o teto do tubo quinzenal. Semana de baixa com vendedores buscando furar o piso de 1,80.


Euro Futuro – Como previmos na semana passada a semana foi de alta leve.Para esta semana indefinido. Fundamentalistas em ação.

Fonte: Export Manager